Museu Carlos Machado lança terceira edição das Semanas Temáticas

O Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, promove durante o mês de Setembro um conjunto de atividades no âmbito da terceira edição do projeto de Semanas Temáticas, que tem como objetivo destacar espaços do circuito de História Natural.
"Com o arranque do novo ano letivo, o Serviço Educativo do Museu Carlos Machado dedica o mês de setembro à Sala das Rochas e Minerais, assinalando o 60.º aniversário da erupção do vulcão dos Capelinhos", adianta uma nota informativa do Governo Regional.
Durante uma semana serão desenvolvidas atividades para diversos públicos, nomeadamente conferências, visitas orientadas e oficinas.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:http://www.acorianooriental.pt/noticia/museu-carlos-machado-lanca-terceira-edicao-das-semanas-tematicas-281983
 
 
Patrícia Machado

Workshop de Patchwork com Salomé Vieira

De 9 a 21 de Outubro


Workshop de Patchwork com Salomé Vieira
Pós Laboral
Santa Cruz da Graciosa
Biblioteca Municipal
Ilha da Graciosa

Inscrições até 29 de Setembro através do 295 712 711
Fonte:
https://www.viralagenda.com/pt/events/385434/workshop-de-patchwork-com-salome-vieira

"A viola que nos toca" regressa ao Teatro Micaelense

A segunda edição do espetáculo "A viola que nos toca" sobe ao palco do Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, a 4 de outubro, pelas 21:30 locais.
A edição de 2017 conta com a participação de Raquel Dutra e Cantos do Mar e da Terra, César Carvalho (violão), Maria Madalena Antunes e Sofia Vidal, alunas do Conservatório Regional de Ponta Delgada, Escola de Violas da Relva, Nelson Cabral e Sílvia Oliveira (flauta).
O espetáculo tem a direção artística de Rafael Carvalho.
Esta segunda edição "prossegue a missão de dar a conhecer a Viola de Dois Corações no seu ambiente mais genuíno, quer a solo, quer acompanhada ao violão, em trio e em quarteto, explorando as suas várias dimensões, num espetáculo que combinará os sons da tradição com a poesia e a voz", informa a organização.
"Serão também projetados vídeos ilustrativos do papel da viola em outras ilhas dos Açores, e diferentes técnicas de execução utilizadas, num trabalho de recolha do realizador Tiago Pereira, e declamados textos e poemas de Vitorino Nemésio e Dias de Melo.
 
 





Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/a-viola-que-nos-toca-regressa-ao-teatro-micaelense-281997
 
Patrícia Machado

O Despacito do D. Dinis ☺


blog "Cais do Pico" de Ivo Sousa recebeu uma missiva real, emitida no coração da Vila de São Roque do Pico, informando que El Rei D. Dinis teve conhecimento do fenómeno "Despacito" e que ele próprio decidiu fazer uma nova versão.


Fica aqui uma brincadeira criada pelo blog "Cais do Pico" que tanto tem ajudado na divulgação desta ilha. Despacito do D. Dinis".



Fonte: http://www.caisdopico.pt/
 Ivo Sousa

'BirdRace Açores' quer promover observação de aves no arquipélago

A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e o sítio na Internet Aves dos Açores promovem mais uma edição da 'BirdRace Açores', que tem como objetivo promover a observação de aves, atividade em crescimento no arquipélago.
"O objetivo principal é promover a avifauna nos Açores e dar a possibilidade às pessoas de começarem a perceber quais as aves presentes no arquipélago, as que aqui nidificam e outras que por cá passam durante a época de migração", declarou à agência Lusa Rúben Coelho, técnico da SPEA.
A iniciativa, que decorre nos dias 30 de setembro e 01 de outubro, é uma competição por equipas até três elementos aos quais se pede "o registo do máximo de espécies de aves observadas na região", promovendo, assim, a sua observação.
Segundo Rúben Coelho, o ano passado, a equipa vencedora da 'BirdRace Açores' observou 51 espécies de aves.
Adiantando que existem 40 espécies de aves residentes nos Açores e igual número de aves migratórias regulares, que passam o inverno no arquipélago, o responsável realçou que "a lista total de espécies diferentes observadas até à data ronda as 400", pelo que os Açores são uma região muito apelativa para quem pratica a observação de aves.
O técnico da SPEA referiu que existem, ainda, "muitas espécies" que surgem de "forma ocasional" nos Açores, perdidas por via de tempestades, aparecendo no arquipélago devido à sua localização estratégica como porto de abrigo no Atlântico Norte.
"Por todas estas razões é sempre imprevisível o número de aves que podem ser contadas nos Açores", declarou Rúben Coelho, salvaguardando que a adesão à 'BirdRace Açores' nas edições anteriores "tem sido muito boa", tendo sido registadas duas equipas por cada uma das nove ilhas do arquipélago.
De acordo com o regulamento, "apenas serão aceites registos de aves em liberdade e em habitat natural", sendo que "registos de aves de estimação ou aves em cativeiro ou imagens de crias no ninho não serão consideradas".
A situação geográfica dos Açores, a meio caminho entre a América e a Europa, faz do arquipélago o primeiro ponto de paragem de diversas aves nos seus fluxos migratórios e, por isso, um local privilegiado para os primeiros avistamentos.
Por exemplo, o único hotel do Corvo, a mais pequena ilha dos Açores, tem sempre lotação esgotada todo o mês de outubro devido à observação de aves, referiu o proprietário, Manuel Rita, acrescentando que a procura é tanta que o mesmo sucede nas casas particulares.
O Corvo, cuja localização geográfica fica quase a meio caminho entre a Europa e os Estados Unidos, "é um ponto fundamental para a entrada de diferentes aves que, por vezes, não são avistadas noutros pontos da Europa e até da América", explicou o diretor do Parque Natural da Ilha, Fernando Ferreira.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:http://www.acorianooriental.pt/noticia/birdrace-acores-quer-promover-observacao-de-aves-no-arquipelago-281931
 
Patrícia Machado

Exposição "Mestre José Melo – Um homem à frente do seu tempo"


Encontra-se em exibição até 1 de Outubro no Museu da Industria Baleeira, em São Roque do Pico a Exposição "Mestre José Melo – Um homem à frente do seu tempo"  


Um trabalho biográfico e documental sobre o construtor naval de Santo Amaro do Pico, Mestre José Silva Melo.


Festival musical "devolve" Jardim António Borges a Ponta Delgada este mês de Setembro







A intenção é devolver o jardim António Borges à cidade de Ponta Delgada e criar um conjunto de atividades variadas que vão desde a música, às artes plásticas, ao cinema ao ar livre e uma pequena praça” disse à agência Lusa Filipe Mota, da Craca Associação Cultural, organizadora da iniciativa. O responsável, que lamenta que o jardim António Borges seja “muitas vezes esquecido” na rotina diária de Ponta Delgada, com os seus habitantes a “acabarem por não usufruir dele”, afirma que o evento “marca a diferença por se destinar a toda a família”. “Ao longo de cada edição temos vindo a assistir que este conceito tem vindo a amadurecer indo o público desde as crianças aos avós”, declarou o dirigente da Craca, que sublinha as características especificas do festival resultantes do local onde se realiza e pela programação “mais variada possível", que "não assenta apenas num género musical ou num público muito concreto”. Filipe Mota referiu que a terceira edição do Jardim Sagres Fest contempla a música eletrónica com características “mais ambientais”, passando pelo jazz, blues, a par de uma linha ‘country’. Segundo o cartaz do evento, no primeiro dia do festival, o soul e groove vão estar presentes através de Marta Ren & The Groovelvets, a par das escolhas musicais do ex-músico da banda Heróis do Mar Rui Pregal da Cunha. O dia encerra com blues produzido nos Açores com a Triki & Franco Blues Band, estando ainda previsto dança ao por do sol através da presença de Um Gajo Chamado Keany. O Jardim Fest contempla no segundo e último dia as presenças do trio de Almada Blue n’ Grass, do alemão Alex Barck, da banda Jazzanova, a nova formação da cantora e compositora da ilha de São Miguel Sara Cruz, de Fabrizio Reinolds e DU-DÉ-DU. As atividades culturais contemplam oficinas, artes plásticas, gastronomia, cinema, programa infantil e um jardim em silêncio, para além do mercado urbano de artesanato que surge em parceria com o Centro Regional de Apoio ao Artesanato dos Açores. O festival vai contemplar, ainda, uma ação de sensibilização e responsabilidade social através da presença do Núcleo de São Miguel da Associação Animais de Rua que permitirá ao público o contacto direto com animais e informará sobre os processos de adoção de gatos e cães. A iniciativa contempla ainda um conjunto de "boas práticas ambientais" que incentivam o público a "contribuir para a redução de resíduos e lixo" no espaço do jardim, assim como ações de sensibilização para as questões ecológicas e de sustentabilidade.

Fonte: Açoriano Oriental